TEMPO; INSOLÚVEL

2001 - 2003

“Tempo; Insolúvel”, é um questionamento sobre o tempo passado vivido e suas conseqüências pessoais.  Nessa série, o tempo é apresentado como abstrato, porém cruel e principal arquiteto do presente.   As múltiplas escolhas feitas na vida, fazem do tempo passado, a memória insolúvel, o vínculo que não se pode desatar, as marcas e cicatrizes que guiam os indivíduos.   Toda experiência, por mais passada e remota que possa ser, deixa marcas que não podem ser apagadas. 

As imagens finais são frutos da sobreposição de diversas fotografias do autor que isoladamente possuem um significado, porém, quando montadas e finalizadas criam novas interpretações, assim como metáfora do tempo vivido, onde  fatos e acontecimentos vão seguindo seu tempo e no final pode-se chegar a um novo significado.

As fotografias são trabalhadas como arquétipos que buscam no subjetivo individual do observador um significado para o tempo vivido.   As imagens passeiam por temas como solidão, fé, violência, religiosidade, sonho, vida e morte entre outras, sempre questionando no observador “O que é o meu tempo, passado?”.